Informação, publicidade e prestação de serviços a comunidade | 03 de Julho de 2022

Veja 30 frases de Bolsonaro sobre Covid que está completando 670 mil mortes

670.000 pessoas morreram em decorrência da covid 19,

Por Tribuna em 19/06/2022
Veja 30 frases de Bolsonaro sobre Covid que está completando 670 mil mortes

9 de março de 2020 – “Superdimensionado” –  0 mortes

“Está superdimensionado o poder destruidor desse vírus. Talvez esteja sendo potencializado até por questões econômicas”, disse o presidente durante viagem aos Estados Unidos.

20 de março – “Gripezinha” – 11 mortes

Presidente afirmou que não seria uma “gripezinha” que o derrubaria depois de ter sido esfaqueado em 2018. Também usou o termo em pronunciamento no dia 24 de março.

26 de março – “Brasileiro pula em esgoto e não acontece nada” – 77 mortes

Bolsonaro disse que o brasileiro precisa ser “estudado” porque é capaz de pular “no esgoto” sem que nada aconteça com ele. Deu a declaração ao ser indagado se o Brasil não chegaria à situação dos Estados Unidos, que na época somava 82 mil casos da doença.

20 de abril – “Eu não sou coveiro” – 2.584 mortes

O chefe do Executivo se negou a responder pergunta de jornalista sobre quantidade mortos por covid-19 no Brasil: “Eu não sou coveiro”, afirmou.

28 de abril – “E daí, lamento. Quer que eu faça o que?” – 5.050 mortes

Presidente sobre o recorde de mortes por covid da época: 5.017 o número total de óbitos provocadas pela doença naquele mês. “E daí, lamento. Quer que eu faça o que? Sou Messias, mas não faço milagre”, disse.

19 de maio – “Cloroquina” e “Tubaína” – 17.971 mortes

Bolsonaro fez 1 trocadilho, durante entrevista ao jornalista e blogueiro Magno Martins, ao aconselhar que pessoas identificadas com a direita usem a cloroquina, enquanto os de esquerda devem “tomar tubaína”.

2 de junho – “A gente lamenta todos os mortos, mas é o destino de todo mundo” – 31.199 mortes

Bolsonaro disse a frase após uma apoiadora pedir uma palavra de conforto para as famílias em luto.

7 de julho – “É como uma chuva, vai atingir você” – 66.741 mortes

Bolsonaro comparou o coronavírus a chuva, ao dizer que uma grande parte da população seria infectada. Deu a declaração durante entrevista que revelou ter testado positivo para covid-19.

10 de novembro – “País de maricas” – 162.829 mortes

O presidente Jair Bolsonaro disse que o Brasil tem que deixar de ser 1 país de “maricas” – termo pejorativo para se referir a homossexuais. Na época, o presidente afirmou que a pandemia de coronavírus era superdimensionada. “Geração hoje em dia é Nutella”, completou.

17 de dezembro – “Se tomar vacina e virar jacaré não tenho nada a ver com isso” – 184.827 mortes

Na ocasião, o presidente voltou a afirmar que é contrário à vacinação obrigatória contra covid-19. Se referindo à vacina da Pfizer, disse que o contrato da farmacêutica é claro na parte em que a empresa não se responsabiliza por possíveis efeitos colaterais causados pelo imunizante.

“Se você virar um jacaré, problema de você [sic]. Se você virar super-homem, se nascer barba em alguma mulher aí ou algum homem começar a falar fino, eles não vão ter nada a ver com isso. O que é pior: mexer no sistema imunológico das pessoas”, afirmou.

5 de janeiro – “O Brasil está quebrado. Eu não consigo fazer nada” – 197.777 mortes

Depois de voltar do recesso em Guarujá (SP), Bolsonaro afirmou que o Brasil está “quebrado” e que “não consegue fazer nada”. Eu queria mexer na tabela do Imposto de Renda, teve esse vírus potencializado pela mídia que nós temos, pela mídia sem caráter que nós temos”, completou.

22 de janeiro – “Não está comprovada cientificamente”, disse Bolsonaro sobre Coronavac – 215.243 mortes

O presidente Jair Bolsonaro disse que “não há nada comprovado cientificamente sobre essa vacina aí”, fazendo referência a Coronavac. O imunizante tem eficácia global de 50,4%, segundo o Instituto Butantan, responsável pela fabricação do imunizante no Brasil.

11 fevereiro de 2021 – “O cara que entra na pilha da vacina é um idiota” – 236.201 mortes

A declaração foi realizada durante transmissão nos perfis das redes sociais de Bolsonaro. “Quando eu falei remédio lá atrás, levei pancada. Nego bateu em mim até não querer mais. Entrou na pilha da vacina”, disse. E completou: “O cara que entra na pilha da vacina, só a vacina, é um idiota útil. Nós devemos ter várias opções”.

4 de março de 2021  – “Vai comprar vacina. Só se for na casa da sua mãe”  – 260.970 mortes

Em conversa com apoiadores em Uberlândia, o presidente criticou a compra de vacinas contra a covid-19 pelo governo federal. Na ocasião, disse que havia editado medidas provisórias para destinar R$ 20 bilhões para compra de vacinas.

4 de março de 2021 – “Chega de frescura e mimi” – 260.970 mortes

Durante evento em São Simão (GO), presidente se posicionou contra as medidas de combate a covid. “Temos que enfrentar os nossos problemas. Chega de frescura e de mimi. Vão ficar chorando até quando?”, afirmou.

14 de maio de 2021 –  “Se falar cloroquina é crime, falar em maconha é legal” – 432.628 mortes

Em conversa com apoiadores, Bolsonaro criticou o projeto de lei 399, ao dizer que falar de cloroquina no Brasil era crime, mas maconha “é legal”. O projeto tinha como objetivo aumentar o acesso a medicamentos à base de Cannabis.

17 de maio –  “Tem alguns idiotas que até hoje ficam em casa” – 436.537 mortes

A declaração ocorreu em conversa com apoiadores ao se referir a uma manifestação organizada por muralistas no dia 15 de maio de 2021. “O agro realmente não parou. Tem uns idiotas aí, o ‘fique em casa’. Tem alguns idiotas que até hoje ficam em casa. Se o campo tivesse ficado em casa, esse cara tinha morrido de fome, esse idiota tinha morrido de fome”.

9 junho de 2021 – Nunca vi ninguém morrer por tomar hidroxicloroquina”  – 479.515 mortes

O chefe do Executivo defendeu o medicamento, que nao tem eficácia comprovada, durante culto evangélico em Anápolis (GO). “A vacina tem comprovação científica ou está em estado experimental ainda? Está [em estado] experimental”, completou.

17 junho de 2021 – “Quem pegou o vírus está imunizado”  – 496.004 mortes

Em live no seu perfil nas redes sociais, Bolsonaro disse que já se considerava imunizado por ter contraído a covid-19. “Todos que contraíram o vírus estão vacinados, até de forma mais eficaz que a própria vacina, porque você pegou vírus para valer”, completou.

25 de junho de 2021 – “Tapetão por tapetão sou mais o meu”  – 511.142 mortes

Sem dar detalhes do que seria seu “tapetão”, Bolsonaro deu a declaração durante evento com empresários em Chapecó (SC) para criticar a CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da covid no Senado.

24 de julho de 2021 – “Se eu estivesse coordenando a pandemia não teria morrido tanta gente” – 549.448 mortes

“O presidente disse a apoiadores que se tivesse coordenado a pandemia da covid, com a adoção do tratamento precoce, o número de vítimas da pandemia seria menor. O tratamento ao qual ele se referia não tem eficácia comprovada cientificamente”, disse.

2 de setembro de 2021 – “[Estou] melhor que o pessoal que tomou CoronaVac” – 581.914 mortes

Em transmissão ao vivo em seu perfil nas redes sociais, Bolsonaro voltou a criticar a eficácia da CoronaVac. “Falei que meu IgG está 991. Eu estou muito bem, melhor que o pessoal que tomou CoronaVac. Melhor não”, afirmou.

8 de setembro de 2021 – “Covid apenas encurtou a vida delas por alguns dias ou algumas semanas” – 584.421 mortes

O presidente Bolsonaro disse, em entrevista aos alemães Vicky Richter e Markus Haintz, ligados à direita radical, que a covid-19 apenas encurtou “por alguns dias ou algumas semanas” a vida das pessoas que tinham comorbidades.

2 de dezembro – “Deixa eu morrer, problema é meu” –  615.179 mortes

Em live semanal em seu perfil nas redes sociais, presidente disse que “muita gente de esquerda” desejando a sua morte. “Se quer a minha morte, por que fica querendo exigir que eu tome a vacina?”, completou.

7 de dezembro de 2021 – “Quer fechar de novo, porra?”, disse sobre a Anvisa – 616.018 mortes

O presidente Jair Bolsonaro reclamou durante evento organizado pela CNI (Confederação Nacional da Indústria) da sugestão de especialistas da área da saúde para implantar o passaporte de vacina nas fronteiras do país. “Estamos trabalhando agora com a Anvisa, que quer fechar o espaço aéreo. De novo, porra? Ah, a ômicron. Vai ter um montão de vírus pela frente, de variantes talvez”. 

7 de dezembro de 2021 – “Coleira que querem botar no povo brasileiro”, disse sobre passaporte vacinal – 616.018 mortes

Em evento no Palácio do Planalto, o chefe do Executivo disse que o passaporte da vacina era uma coleira que queriam impor no Brasil. “Cadê nossa liberdade? Prefiro morrer do que perder minha liberdade”, afirmou na ocasião.

24 de dezembro de 2021 – “Não tá havendo morte de criança que justifique” – 618.392 mortes

Presidente disse que o número de mortes de crianças por covid-19 não justifica a vacinação emergencial contra covid para essa faixa etária, o que ele chamou de “medida emergencial”. Na ocasião, ele disse que é o “pai que decide em 1º lugar”.

 6 de janeiro de 2022 – “Qual o interesse da Anvisa por trás disso aí?” – 619.641 mortes

Presidente questionou, durante entrevista à TV Nordeste, o interesse da Anvisa na aprovação de vacinas pediátricas da Pfizer contra a covid-19. “Qual o interesse das pessoas taradas por vacina?”, completou na sequência.

12 de janeiro de 2022 – “Ômicron é bem-vinda” – 620.371

Em entrevista à Gazeta Brasil, o presidente disse: “Dizem [que a ômicron] até que seria um vírus vacinal. Deveriam até… Segundo algumas pessoas estudiosas e sérias —e não vinculadas à farmacêuticas —dizem que a ômicron é bem-vinda e pode sim sinalizar o fim da pandemia”.

22 de janeiro de 2022 – “Lamento profundamente, mas é um número insignificante” – 622.801 mortes

Bolsonaro disse que o número de mortes de crianças por covid é “insignificante” em conversas com jornalistas em Eldorado (SP). “Tem que levar em conta se elas tinham comorbidade também”, disse.

Aguarde..