Informação, publicidade e prestação de serviços a comunidade | 03 de Julho de 2022

Unidos de Padre Miguel pode ser patrimônio imaterial do estado

Alerj aprova título para preservação da cultura da escola de samba da Zona Oeste

Por Tribuna em 01/06/2022
Unidos de Padre Miguel pode ser patrimônio imaterial do estado

O Grêmio Recreativo Escola de Samba Unidos de Padre Miguel poderá ser considerado patrimônio imaterial do Estado do Rio de Janeiro.

O título foi aprovado pela Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), em segunda discussão, nesta quarta-feira (01). A concessão do reconhecimento depende agora do governador Cláudio Castro (PL), que tem 15 dias para sancionar ou vetar a proposta.

Autor do projeto de lei 5.720-A/2022, o deputado Coronel Jairo (SDD) destaca a trajetória da agremiação da Zona Oeste e enfatiza que o título é importante para preservar o samba, a música e a história.



"A Unidos de Padre Miguel tem história e sua cultura precisa ser preservada. Conceder o título é mais do que reconhecimento, vai contribuir para divulgar a escola e atrair turistas", justificou Coronel Jairo.

Quinta colocada na Série Ouro no Carnaval de 2022, a Unidos de Padre Miguel foi a quinta agremiação a atravessar a Marquês de Sapucaí na madrugada de sexta-feira, 22 de abril, com o enredo “Iroko é  tempo de xirê”.

Localizada atualmente na Rua Mesquita nº 08, no bairro de Padre Miguel, a escola surgiu em meados de 1954, por iniciativa de Genésio da Cruz Nunes. Conhecida pelo símbolo do boi vermelho, tornou-se campeã em seu primeiro desfile na Praça XI em 1959 e adquiriu o direito de se apresentar entre as grandes escolas em 1960.

A escolha das cores vermelha e branca deve-se à intenção de homenagear a fábrica Bangu, do Sr. Guilherme da Silveira Filho (Silveirinha), que doava todo o tecido para o desfile da escola e também ao Bangu Futebol Clube, que adota as mesmas cores.

Aguarde..