Informação, publicidade e prestação de serviços a comunidade | 26 de Maio de 2022

Temer liga para Bolsonaro e pede diálogo com Judiciário e Legislativo

Dirigente nacional do MDB salientou na conversa pelo telefone a necessidade de se tranquilizar a sociedade; Bolsonaro já informou a assessores que irá comparecer às manifestações do 7 de Setembro e deve fazer críticas à postura da Suprema Corte

Por Tribuna em 31/08/2021
Temer liga para Bolsonaro e pede diálogo com Judiciário e Legislativo

DA REDAÇÃO - Foi de golpista para golpista. No dia em que o golpe de Estado que derrubou a ex-presidenta Dilma Rousseff (PT) faz 5 anos e colocou o país de volta ao Mapa da Fome, desemprego elevado, inflação de quase dois dígitos e na maior crise institucional desde o fim da ditadura militar, uma ligação telefônica singular entre dois atores políticos de características golpistas foi simbólico.

O ex-presidente Michel Temer pediu ao presidente Jair Bolsonaro que dialogue com o Judiciário e Legislativo na tentativa de se interromper a atual crise institucional no país causada pelo presidente de extrema-direita.

A conversa foi promovida, pelo telefone, na semana passada, revelou Gustavo Uribe da CNNBrasil. O dirigente nacional do MDB ressaltou ao presidente que a harmonia no país é fundamental neste momento.

Segundo relatos de assessores palacianos, Bolsonaro fez críticas pontuais a decisões ao STF (Supremo Tribunal Federal). No final da conversa, no entanto, o presidente demonstrou disposição ao diálogo.

“Eu falei apenas em pacificação e harmonia dos poderes, como tenho pregado em artigos, palestras e entrevistas. É fundamental para tranquilidade da sociedade”, disse. “A harmonia decorre do diálogo”, acrescentou o então vice-presidente que conspirou para derrubar uma presidenta que não cometeu crime de responsabilidade, mas que foi apeada do cargo para que a agenda neoliberal fosse implementada no país através da ‘Ponte para o Futuro’, programa elabora pelo então PMDB.

Apesar dos apelos de integrantes da base aliada, Bolsonaro já informou a assessores presidenciais que irá comparecer às manifestações do 7 de Setembro e deve fazer críticas à postura da Suprema Corte.

A avaliação de integrantes tanto do Judiciário como do Legislativo é de que a posição do presidente nas manifestações do Dia da Independência será determinante para a retomada ou a interrupção do diálogo.

Pela postura do mandatário do executivo federal, tudo indica que sua retórica que mistura desejo golpista e vitimização seguirá cada vez mais radicalizada. (Como informações da CNNBrasil)

Publicidade
Aguarde..