Informação, publicidade e prestação de serviços a comunidade | 26 de Maio de 2022

Suassuna volta articular política no Rio de Janeiro

Por Tribuna em 21/05/2021
Suassuna volta articular política no Rio de Janeiro

Por: Phil Thomas 

Suassuna volta articular política no Rio de Janeiro

Eleito em pesquisa realizada pelo DIAP uma das "100 Cabeças do Congresso Nacional" nos anos de 1997, 1998, 1999 e 2000 nas categorias de articulador e formador de opinião, o ex-senador e ex-ministro Ney Suassuna (Republicanos), mostra o que sabe fazer com competência e se volta para o cenário no Rio de Janeiro.

Conhecido como “senador da Barra” ele receberá neste fim de semana em sua residência no suntuoso Condomínio Portinho do Massaru no Itanhangá, um grupo de notáveis políticos para costurar uma aliança visando à eleição do atual governador Cláudio Castro (PSC), que está de “malas prontas” para ingressar no Partido Liberal (PL). 

“Saia justa” na CPI

O senador Marcos Rogério (RO), que faz parte da bancada governista minoritária na CPI da Pandemia, trouxe um dissabor para o relator da CPI senador Renan Calheiros e provocou uma autêntica “saia justa” na maioria oposicionista, na manhã de quinta-feira (20), ao exibir vídeos de governadores de oposição defendendo o uso de cloroquina e hidroxicloroquina no tratamento de Covid-19.

Marcos Rogério mostrou vídeos e áudios do governador de Alagoas, Renan Filho, primogênito do relator da CPI, Renan Calheiros (MDB-AL), e também do governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), além do secretário de Saúde do governador da Bahia, Rui Costa (PT).

Vacinas da Pfizer

Chegaram na noite de quarta-feira (19), no Aeroporto de Viracopos, em Campinas (SP), mais 629 mil doses da vacina contra a covid-19 da Pfizer. Esse é o quarto lote de um total de 200 milhões de vacinas contratadas pelo governo brasileiro da farmacêutica. Somadas, as quatro remessas totalizam 2,8 milhões de doses do imunizante entregues ao Ministério da Saúde.

As doses, agora, serão levadas ao Centro de Distribuição do Ministério da Saúde em Guarulhos (SP), onde as vacinas são armazenadas a uma temperatura de -90 graus Celcius (°C) a -60°C. Ao serem enviadas aos locais de vacinação, os imunizantes são expostos a temperatura de -20°C. Nas salas de vacinação, onde a refrigeração é de 2ºC a 8°C, as doses precisam ser aplicadas em até cinco dias.

As garras de abutre do STF

O Supremo Tribunal Federal (STF) começou a julgar ontem (19) se a negociação prévia entre empresas e sindicatos é obrigatória nos casos de demissões em massa. Os ministros julgam o recurso da Embraer contestando decisão da Justiça do Trabalho a favor das negociações. Até o momento, a votação está em três votos favoráveis a um contra para que a dispensa em massa de trabalhadores não necessite de negociação coletiva. 

O relator do processo, ministro Marco Aurélio, votou contra a possibilidade de negociação coletiva. Para o ministro, não há proibição ou condição para a dispensa coletiva, pois o ato de demissão é unilateral do empregador e não exige concordância do trabalhador e dos sindicatos. “A iniciativa da rescisão, disciplinada no artigo 477 da Consolidação das Leis do Trabalho, é ato unilateral, não exigindo concordância da parte contrária, muito menos do sindicato que congregue a categoria profissional”.

Caem os pedidos de desemprego nos EUA

Nos Estados Unidos, os pedidos iniciais de auxílio-desemprego para a semana encerrada em 15 de maio, ajustados sazonalmente, ficaram em 444 mil, queda em 34 mil em relação ao nível revisado da semana anterior. Este é o nível mais baixo para reivindicações iniciais desde 14 de março de 2020, quando eram 256 mil. Os dados são do Departamento do Trabalho e foram apresentados nesta quinta-feira (20/05).

Já o nível da semana anterior foi revisado para cima em 5 mil, de 473 mil para 478 mil. A média móvel de 4 semanas foi 504.750, queda de 30.500 da média revisada da semana anterior. Este é o nível mais baixo para esta média desde 14 de março de 2020, quando eram 225.500. A média da semana anterior foi revisada em 1.250, de 534 mil para 535.250. A taxa de desemprego, ajustada sazonalmente e medida pelos pedidos, ficou em 2,7% na semana encerrada em 08 de maio, alta em 0,1 ponto percentual em relação à taxa não revisada da semana anterior.

Setor de supermercado fatura alto

O faturamento do setor de supermercados no Brasil, que conta com 91.351 lojas, chegou a R$ 554 bilhões em 2020. Os dados foram divulgados hoje pela Associação Brasileira de Supermercados (Abras), que ressaltou que o valor representa 7,5% do Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil. São 3 milhões de empregos diretos e indiretos no setor.

“O faturamento das 91 mil lojas, com as mudanças novas que estamos trazendo neste momento, são 554 bilhões de reais. Neste valor, nós temos todos os canais de distribuição dos supermercados. Estamos falando das vendas físicas, das vendas por e-comerce, por delivery”, disse Marcio Milan, vice-presidente da Abras.

Ele acrescentou que os dados incluem todos os canais, os supermercados de bairro, os supermercados tradicionais, os minimercados, os chamados atacarejo. "Essa grandeza hoje aqui demonstrada traz para a Abras um novo patamar, uma nova informação, de uma sinalização como vai ser tratada essa grandeza dos segmentos hoje que atende quase 90% da população”, disse.

Dólar

O dólar caiu e voltou a fechar abaixo de R$ 5,30 com a diminuição do pessimismo no mercado financeiro internacional. A bolsa de valores operou em queda durante quase todo o dia, mas reagiu nos minutos finais de negociação e fechou estável.

O dólar comercial encerrou esta quinta-feira (20) vendido a R$ 5,277, com recuo de R$ 0,039 (-0,73%). A divisa operou em baixa durante todo o dia, acelerando a queda perto do fim das negociações. A moeda norte-americana acumula queda de 2,85% em maio e alta de 1,7% em 2021.

Ibovespa

No mercado de ações, o dia foi marcado por oscilações. O índice Ibovespa, da B3, fechou o dia aos 122.701 pontos, com alta de apenas 0,05%. O indicador caiu influenciado pelo recuo no preço das commodities (bens primários com cotação internacional), mas o otimismo nas bolsas norte-americanas conseguiu reverter a queda perto do fim da sessão.

Wall Street

Os benchmarks de Wall Street retornaram para o azul na quinta-feira (20/05), com os investidores reagindo aos pedidos de auxílio-desemprego, que marcaram novas quedas na semana passada. Entretanto, o mercado ainda acompanhou o relatório do Federal Reserve da Filadélfia de Manufatura, que ficou abaixo das estimativas.

Ao final, o Dow Jones subiu 0,55% aos 34.084. O S&P 500 subiu 1,06% aos 4.159. O Nasdaq ficou em alta de 1,77% aos 13.535. A sequência de perdas, que durou três dias, foi interrompida com as ações de energia e tecnologia. Ontem, o Fed divulgou a ata do Comitê de Mercado Aberto, Fomc, mostrando que “vários participantes sugeriram que se a economia continuar a melhorar rapidamente”, poderá ser apropriada a discussão sobre a redução no programa de compra de ativos.

Entre as ações com ganhos no Dow Jones ficaram as da Apple, alta de 2,10%, as da Boeing, alta de 1,44%, as da Microsoft, alta de 1,38%, e as da Amgen, alta de 1,33%. Na contramão ficaram as ações da Caterpillar, queda de 0,79%, as da Verizon, queda de 0,23%, e as do JP Morgan, queda de 0,17%.

 

Publicidade
Aguarde..