Informação, publicidade e prestação de serviços a comunidade | 26 de Maio de 2022

Riotur não vai subsidiar o Carnaval de Rua em 2022

Por Tribuna em 24/05/2021
Riotur não vai subsidiar o Carnaval de Rua em 2022

Por: Phil Thomas 

Riotur não vai subsidiar o Carnaval de Rua em 2022

Teve início na sexta-feira (21) uma série de debates sobre como será o carnaval de rua de 2022, após a vacinação. A iniciativa é da Comissão Especial do Carnaval da Câmara de Vereadores do Rio. Entre os participantes estão parlamentares, representantes de blocos, vendedores ambulantes e do Poder Público. Na primeira reunião já foram discutidos pontos sobre os cadernos de encargos e contrapartidas fornecidas por patrocinadores.

Fim da verba foi aprovada pelos vereadores

Uma das principais propostas foi o fim do atual caderno de encargos da Prefeitura do Rio, que permite empresas concorrerem ao patrocínio da festa de rua. A mudança foi comunicada pela presidente da RioTur, Daniela Maia. O caderno prevê o pagamento de R$ 2 milhões para os blocos da cidade, além do fornecimento de estruturas como banheiros químicos e cercamento (grades).

Jogando “água na fervura” 

Fernanda Amim, diretora do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano da UFRJ, defendeu a mudança no caderno. Ela argumentou que o gasto médio diário dos cariocas com cerveja e água é de R$ 65,70 por pessoa. "Só o Bloco do Boitatá, por exemplo, tem cerca de 30 mil foliões, que, consumindo isso, rendeu R$ 1,9 milhão à empresa. O valor de R$ 2 milhões aos blocos como contrapartida é injusto", disse.

A Covid não para...

O Brasil registrou neste domingo 860 novas mortes em decorrência da Covid-19, o que elevou o total de óbitos pela doença no país a 449.068, informou o Ministério da Saúde. Também foram contabilizados 35.819 novos casos de coronavírus e, com isso, o total de infecções no país chegou a 16.083.258.

O número de casos e mortes reportados pode conter subnotificações devido aos testes represados nos hospitais em finais de semana. O Brasil tem o segundo maior número de mortes pela doença no mundo, abaixo apenas dos Estados Unidos, e a terceira maior contagem de casos confirmados de coronavírus, atrás dos EUA e da Índia. São Paulo é o estado brasileiro mais afetado pela Covid-19 e atingiu neste domingo as marcas de 3.188.105 casos e 107.614 mortes acumuladas.

Olimpíada de Tóquio está confirmada

A Olimpíada de Tóquio acontecerá mesmo que a cidade esteja sob estado de emergência por causa da Covid-19, disse uma autoridade olímpica de alto escalão no último dia 21 de maio, destacando os desafios enfrentados pelos organizadores dos Jogos afetados pela pandemia.

Faltando só nove semanas para o início das competições, o Comitê Olímpico Internacional (COI) tenta acalmar os temores do Japão de que o evento represente um fardo ao sistema médico, já pressionado pela pandemia, ao final de um encontro virtual de três dias para debater os preparativos.

Ministério da Saúde ignorou a China...

O Ministério da Saúde criou uma nova crise diplomática com a China ao anunciar a chegada de insumos para a produção de vacinas contra o coronavírus. 

No Twitter, a pasta divulgou o desembarque de lotes do IFA (Ingrediente Farmacêutico Ativo) para a produção de 12 milhões de doses, porém publicou que vieram "do exterior", ignorando que toda a carga veio do país asiático.

O embaixador chinês, Yang Wanming, reagiu com ironia à postagem do Ministério da Saúde e citou um dos mais importantes filósofos do país: "Confúcio disse: feito para amigos, fiel à sua palavra".

MP para mais empregos

Editada em março pelo governo, a Medida Provisória que busca melhorar o ambiente de negócios no Brasil deve ser votada na Câmara dos Deputados ainda em junho. O deputado Marco Bertaiolli (PSD-SP), relator da MP 1040, pretende apresentar um parecer favorável até o final de maio e diz que já acertou com o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), que o texto não irá perder validade, o que implica em ser aprova pelo Congresso nacional antes do fim de julho.

Veículo elétrico (EV) com autonomia de 1.609 km

O co-fundador da empresa Aptera, Chris Anthony após encerrar as atividades em 2011 por falta de verbas para o custeio de seu projeto, o  Aptera, um veículo 100% elétrico e que não precisa de recarga para seu funcionamento, voltou no final de 2020 com novas atualizações.

O veículo elétrico (EV) é movido por energia solar através de uma placa solar capaz de fornecer uma autonomia de 1.609 km com uma única carga. Basta estacionar sob o sol que a mãe natureza se encarrega do resto.

Twitter cria selo azul para garantir confiabilidade

Notoriedade, autenticidade e respeito às regras: o Twitter tornou transparente na quinta-feira (20) seus critérios para a concessão do selo azul, que indica que uma conta é certificada e, portanto, mais confiável do que os usuários comuns. Essa identificação "permite que as pessoas no Twitter conheçam melhor com quem estão conversando e determinem se são confiáveis, o que, segundo nossa pesquisa, incentiva conversas mais serenas e informadas", explicou a rede social em nota.

A plataforma busca ser mais transparente sobre um processo que muitos usuários consideram opaco e arbitrário. Para isso, pediu a opinião dos usuários em 2020 e recebeu mais de 33 mil, e definiu então um novo processo para alcançar a preciosa marca distintiva.

Anitta expõe seu novo par Money & Money

Anitta “pop star brasileira”, engatou novo namorado, o bilionário que fez fortuna no mercado dos papéis. Ele é americano se chama Michael Chetrit, e curte com os amigos Isabela e David Grutman uma viagem ao parque de diversões Islands of Adventure, do complexo Universal Orlando Resort, nos Estados Unidos. 

Para carimbar o namoro, o novo casal apareceu juntinho na foto compartilhada por David nas redes sociais na sexta-feira (21). Anitta reforçou o enlace e fez o mesmo comentário em sua própria rede ao compartilhar registros do passeio, em que aparecem também o produtor Léo Fuchs e o coreógrafo Justin Neto.

Dólar

Foi uma semana marcada pela volatilidade, com o dólar comercial fechando com valorização de 1,55%. O top money da semana foi o Federal Reserve, com a ata da última reunião divulgada na quarta-feira (19/05), e também com a inflação americana estressando os mercados. 

No interbancário, o dólar comercial subiu 1,44% aos R$5,353 para a venda. O turismo subiu 1,29% ficando em R$5,503 para a venda. O euro subiu 1,12% aos R$6,524 para a venda. A libra esterlina subiu 1,25% aos R$7,575 para a venda. O peso argentino subiu 1,49% aos R$0,057 para a venda.

Bitcoin está na lupa dos investigadores

Hoje, na bolsa de Nova York, o índice DXY ficou em alta, mas o Bitcoin escorregou mais de 10%. O mercado de moeda digital sentiu o impacto da fala do presidente do Fed, Jerome Powell, de que as criptomoedas representam riscos para a estabilidade financeira e indicou que uma maior regulamentação pode ser necessária. 

Ibovespa

O Ibovespa vai encerrando a semana com valorização de 0,58%. A volatilidade dos últimos pregões foi puxada pelas incertezas que rondavam a ata do Federal Reserve, já que o fantasma da inflação pesou no desempenho do mercado acionário dos Estados Unidos e acabou contagiando os demais.

No cenário doméstico, a semana também foi marcada pelos depoimentos aos senadores da CPI da Covid-19, bem como a aprovação da Medida Provisória na Câmara Federal abrindo caminho para a privatização da Eletrobras. Ao final, o Ibovespa ficou em queda de 0,09% aos 122.592 pontos. O volume financeiro ficou em R$32,25 bilhões.

A semana no ambiente interno foi marcada pela CPI da Covid-19, que vem revelando mais uma página muito triste da nossa história.

Wall Street

No maior mercado de ações do mundo a sexta-feira (21) foi de compras. Porém, perto do fechamento os índices ajustaram e apenas o Dow Jones sustentou os ganhos. Ao final, o Dow Jones subiu 0,36% aos 34.207. O S&P 500 ficou estável aos 4.155. O Nasdaq ficou em queda de 0,48% aos 13.470.

A expectativa pela divulgação da ata do Federal Reserve, depois que a inflação azedou o humor dos investidores, dois dos pesos pesados renovaram as perdas semanais. O Dow Jones caiu 0,5% e o S&P perdeu 0,4%. Já o Nasdaq conseguiu sustentar a alta de 0,3%.

O radar voltou para os índices dos Gerentes de Compras da IHS Markit. O PMI Composto atingiu novo recorde na prévia para maio aos 68,1 pontos, ante os 63,5 de abril. A prévia do índice de Serviços está em 70,1 para maio, ante os 64,7 de abril. O PMI de Manufatura está em 60,5 pontos para maio, ante o recorde de 61,5 no final de abril.

Publicidade
Aguarde..