Informação, publicidade e prestação de serviços a comunidade | 03 de Julho de 2022

Ordem de Bolsonaro: ‘Mete a foice em todo mundo no Ibama. Não quero xiita´. Contribui para morte no Amazonas?

Por Tribuna em 18/06/2022
Ordem de Bolsonaro: ‘Mete a foice em todo mundo no Ibama. Não quero xiita´. Contribui para morte no Amazonas?

Atê onde uma ação do Bolsonaro pode influenciar no aumento da violência na Amazônia. O que o presidente quis deixar claro quando disse: ‘Mete a foice em todo mundo no Ibama. Não quero xiita´? Será que o exemplo carrega mesmo multidões? Bolsonaro abriu os portões para barbáries na Amazônia?

Perguntas que não sabemos as respostas mas foi feita a confirmação da morte, por meio de exame da arcada dentária do jornalista britânico Dom Phillips.

E a violência contra indígenas não para de crescer, Em 2021, o Atlas da Violência mostrou que houve um crescimento de 21,6% dos homicídios de indígenas no Brasil. Os dados fazem parte do Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM) produzido pelo Ministério da Saúde.

Polícia Federal conduz restos mortais do jornalista britânico Dom Phillips

A Polícia Federal (PF) confirmou que os restos mortais que foram encontrados na Amazônia são do jornalista do inglês Dom Phillips. O material foi identificado por peritos do Instituto Nacional de Criminalística, em Brasília, por meio de exame da arcada dentária. 

A PF também informou que o trabalho de perícia continua para a identificação dos remanescentes humanos que pertenceriam ao indigenista Bruno Araújo Pereira. 

“A confirmação foi feita com base no exame de odontologia legal combinado com a antropologia forense. Encontram-se em curso os trabalhos para completa identificação dos remanescentes, para a compreensão das causas das mortes, assim como para indicação da dinâmica do crime e ocultação dos corpos”, informou a PF. 

Ontem (16), os restos mortais de Bruno Araújo e Dom Phillips chegaram ao Instituto Nacional de Criminalística da Polícia Federal, em Brasília, onde estão sendo periciados para confirmação da identidade. 

Eles estavam desaparecidos desde 5 de junho, na região do Vale do Javari, no oeste do Amazonas. Os remanescentes humanos foram encontrados após o pescador Amarildo da Costa Oliveira, conhecido como “Pelado”, ter confessado a participação no desaparecimento e indicado o local onde os corpos foram enterrados. 

Da Agência Brasil

Aguarde..