Informação, publicidade e prestação de serviços a comunidade | 14 de Agosto de 2022

Oposição se aglomera contra Bolsonaro e todos perdem a razão

Por Tribuna em 30/05/2021
Oposição se aglomera contra Bolsonaro e todos perdem a razão

Mudança de estratégia da oposição que neste sábado deixou o slogan “’Fique em Casa” e foi pra rua em todo o Brasil.

Com a falta de líder conciliador a clássica Luta de classe parece não ter fim no atual Brasil, onde gregos e troianos parecem querer todos os direitos e nenhum dever, mesmos que a história e as estáticas mostrem que os momentos de maior crescimento do país, foram os momentos em que as classes selaram acordos conciliatórios, como foi nos governos JK, Itamar Franco e Lula.

O Brasil hoje está claramente dividido de um lado militares, religiosos e governistas, de outros movimentos sociais, indignados e oposição, e os dois lados errados por não respeitar a pandemia é seus efeitos mortais, “os tempos são outros os erros os mesmos”.

Luta de classes é um fenômeno social marcado por uma oposição de ideias entre grupos diferentes. Essas visões antagônicas podem ser observas em diferentes esferas e muitas vezes referem-se à defesa de próprios interesses.

A luta de classes pode ser motivada por várias questões, tais como fatores socioeconômicos, políticos e ideológicos. Da mesma maneira, essas divergências podem assumir diferentes formas de conflitos entre as classes. As guerras travadas entre os países, greves e manifestações, e movimentos sociais são alguns dos exemplos.

Leia também: Entrevista com George Teixeira Pinheiro, Presidente da Confederação das Associações Comerciais e Empresariais do Brasil (CACB)

 Debandagem de volta ao PT, depois de novas pesquisas para 2022

PL de deputado propõe fechamento da UERJ

 

Neste sábado (29), diversas cidades brasileiras foram palco de protestos contra o presidente Jair Bolsonaro organizados por movimentos sociais e grupos de esquerda. A mobilização ocorreu como uma resposta às manifestações de apoiadores do presidente, como a “motociata” que aconteceu no último domingo (23), no Rio de Janeiro.

Os ânimos se afloram principalmente depois que segundo o senador Otto Alencar, na questão da falta de vacinas do COVID-19, o crime do Governo já está "caracterizado", afirma que há provas suficientes para incriminar Bolsonaro na tragédia da COVID.

Apoiadores do governo já temem o pedido de Impeachment contra Jair Bolsonaro e alguns como o Dep. Otoni de Paula já denúncia tentativa de "golpe" e avisa que vai ter derramamento de sangue e guerra civil nas redes sociais, ou seja, mais uma vez “os tempos são outros, os erros os mesmos”, e todos querem ser donos da razão, mesmo cometendo os mesmos erros do passado.

Podemos ver isso quando a PM reprime ato ‘Fora Bolsonaro’ sem permissão do governo. “Condenamos a atitude e o acontecido terá consequências”, afirmou vice-governadora Luciana Santos.

A luta de classes aumenta a partir do fato que última bandeira do Bolsonarismo, que é o combate a corrupção, cai a cada dia mais por terra, diante de dezenas de denúncias e investigações contra seu governo. E piora, pois, depois dos escândalos de mudanças de chefia da Policia federal pra blindar aliados, agora com Bolsonaro intervindo e proibindo nota pública do Exército contra seu ex-ministro Pazuello e a PF deflagrando operação contra seu ministro Ricardo Salles por corrupção no Meio Ambiente.

Fato é que, de um lado governistas levantam a bandeira de defesa que o Brasil é supostamente o quarto país que mais vacinou, e do outro os que culpam o presidente pelas mais de 460 mil mortes e colocam o Brasil entre os países em que a pandemia mais matou no mundo.

Da Redação/Por Ralph Lichotti /educamaisbrasil/Imagem: internet

Aguarde..