Informação, publicidade e prestação de serviços a comunidade | 14 de Agosto de 2022

Mais de 20 milhões de infectados e 560 mil mortos de Covid

Por Tribuna em 05/08/2021
Mais de 20 milhões de infectados e 560 mil mortos de Covid

O Brasil quase 560 mil mortes de covid-19 e ultrapassou a marca de 20 milhões de pessoas infectadas desde o início da pandemia.

Além disso, foram registrados 666.042 possíveis infecções pelo novo coronavírus e 40.429 novos diagnósticos, elevando o total para 20.026.502 infectados.

A CPI da COVID aponta diversos erros do governo federal que teriam contribuído para a escassez de vacinas.

Governo não comprou vacinas em 2020

A epidemiologista Ethel Maciel diz que o primeiro e maior erro foi o governo federal foi não comprar vacinas antecipadamente, ainda em 2020.

"O Brasil não fez isso e ainda recusou um acordo proposto pela Pfizer que garantiria 70 milhões de vacinas em dezembro", afirma a epidemiologista, que é professora da Universidade Federal do Espírito Santo.

O governo Jair Bolsonaro em outubro do ano passado, rejeitou uma proposta do Butantan que previa a entrega de 45 milhões de doses da CoronaVac até dezembro de 2020 e outras 15 milhões no primeiro trimestre de 2021, isso garantiria ao menos 60 milhões de doses na primeira fase de vacinação.

"Da China nós não compraremos. É decisão minha. Eu não acredito que ela transmita segurança suficiente para a população pela sua origem. Esse é o pensamento nosso", disse Bolsonaro no dia 21 de outubro, em entrevista à rádio Jovem Pan.

Falta de treinamento provocou desperdício de doses

Não houve uma campanha nacional de vacinação, com informações à população e treinamento específico às equipes dos postos de saúde, destacam Ethel Maciel e Gonzalo Vecina Neto.

No Rio de Janeiro, foi amplamente noticiado que doses da Oxford-AstraZeneca foram jogadas fora por causa do baixo comparecimento de idosos em algumas áreas da cidade.

Uma vez aberto o frasco para colocar nas seringas, o conteúdo da vacina de Oxford só tem validade por seis horas. Já a CoronaVac dura oito horas depois de aberto o frasco.

Como não havia orientação clara sobre o que fazer na ausência do grupo-alvo da vacinação, as doses que sobravam nos recipientes abertos foram perdendo a validade.

Ou seja, além de termos pouca vacina, a falta de orientação aos profissionais levou a uma redução ainda maior do estoque.

Da Redação Imagens: TV Justiça

Aguarde..