Informação, publicidade e prestação de serviços a comunidade | 19 de Agosto de 2022

Lei Seca pega 376 motoristas no fim de semana, 41,2% embriagados em Jacarepaguá

Por Tribuna em 12/07/2021
Lei Seca pega 376 motoristas no fim de semana, 41,2% embriagados em Jacarepaguá

Mais um fim de semana com altos índices de alcoolemia na capital e no interior do estado. Das 1.588 pessoas abordadas pela Operação Lei Seca, 376 estavam sob efeito de álcool, ou seja, 23,68% do total de abordados de sexta a domingo (9 a 11/7).

Na sexta-feira, ações de fiscalização foram realizadas em parceria com o Batalhão de Polícia Rodoviária (BPRv) na RJ-104, em São Gonçalo, e 120 motoristas foram abordados, sendo que 27 deles estavam embriagados. No mesmo dia, em uma blitz realizada na Estrada do Rio Grande, em Jacarepaguá, 68 motoristas foram abordados e 41,2% de casos de alcoolemia foram registrados. Na Barra da Tijuca, em ações realizadas na sexta e no sábado, 62 pessoas foram flagradas sob efeito de álcool, o que representou 38,2% das abordagens. No domingo (11/7), no Recreio dos Bandeirantes, 31,4% dos motoristas abordados estavam embriagados e, em Maricá, 29,9% dos abordados eram casos de alcoolemia. 

Ações realizadas no interior do estado também registraram altos índices de alcoolemia. Na sexta-feira, em São José do Vale do Rio Preto, dos 78 abordados, 21 casos de alcoolemia foram registrados, ou seja, 26,9%. Já no sábado, em Três Rios, dos 85 motoristas abordados, 32 estavam embriagados, o que representa 37,6% do total de abordagens. 

Os motoristas flagrados sob efeito de álcool cometem infração gravíssima, têm a carteira de habilitação suspensa por um ano, pagam uma multa de 2.934,70 reais e têm o veículo retido até apresentar um condutor que seja habilitado e esteja em condições de dirigir.

As operações da Lei Seca foram retomadas na última quinta-feira (8), em todo o estado do Rio. As fiscalizações estavam suspensas desde o dia 18 de março por causa da pandemia da Covid 19.

Lei Seca na Covid, como funciona:

Um novo modelo de blitz foi desenvolvido em conjunto com a Secretária de Estado de Saúde, utilizando protocolos sanitários para não expor a risco de contaminação os profissionais e nem os motoristas.

É realizada uma triagem com o uso de equipamento passivo, sem necessidade de sopro e sem contato com o motorista. Se for detectada a presença de álcool, será realizada uma segunda triagem. E, caso o resultado dê positivo novamente, será realizado o tradicional teste do bafômetro com o bocal descartável e todos os procedimentos de higiene;

Durante a abordagem o motorista e o policial ficarão separados por uma barreira protetora de plástico transparente;

São disponibilizados totens de álcool em gel, com acionamento via pedal, para os motoristas abordados e para os agentes que atuam na Operação. Também serão oferecidas máscaras descartáveis para os motoristas;

A reorganização na estrutura da blitz da Lei Seca tem também um maior distanciamento entre as pessoas.

Alguns pontos do protocolo sanitário:

  • Uso de máscaras e protetor facial pelos profissionais que atuam nas blitzes.
  • Distanciamento entre os agentes e os motoristas com uso de barreiras protetoras de plástico transparente.
  • Limpeza dos equipamentos com hipoclorito de sódio a 2,5% (água sanitária).
  • Disponibilização de totem de álcool em gel com acionamento via pedal.
  • Distribuição de máscaras descartáveis para os motoristas abordados que não estejam utilizando.

Da Redação via Gov RJ

Aguarde..