Informação, publicidade e prestação de serviços a comunidade | 07 de Agosto de 2022

Janio Mendes detona contrato ilegal da via lagos

O ex-deputado pedetista - que está na corrida à Alerj novamente nas eleições deste ano - lembra que a concessão venceu em janeiro último,

Por Tribuna em 05/08/2022

O ex-deputado Janio Mendes (PDT), que é novamente candidato a retornar à Alerj nas eleições, foi o convidado do 20º RC Cast, podcast parceiro do O Dia, transmitido nesta quinta-feira (4). Janio é o principal conselheiro do prefeito cabo-friense, José Bonifácio (PDT), foi vereador (o mais votado do parlamento cabo-friense) e deputado estadual de 2011 a 2019. Ele também já foi candidato a prefeito da cidade, nas eleições 2016.

Mas a tônica maior da entrevista foi a concessionária da RJ-124, a ViaLagos. Janio lembrou que após análise do TCE a justiça determinou que o contrato de concessão não poderia mais continuar a partir de janeiro de 2022, quanto mais aumentar a tarifa de pedágio.

"Em 2021 a justiça havia determinado o fim da concessão da ViaLagos, o contrato era para ter sido suspenso, conforme avaliação do TCE. Se o contrato está suspenso, não pode haver aumento de tarifa. A concessionária lucra 19% em cima dos ganhos com pedágio, quando a taxa deveria ser 7% que é o praticado nas concessionárias do Brasil e do mundo. Uma nova licitação para a RJ-124 colocaria fim a esse absurdo. Isso é um crime contra a economia popular", disse.

Janio falou ainda sobre o momento de polarização por que passa o país, do apoio a Rodrigo Neves para o governo estadual e da possibilidade do PT apoiar o pedetista no Estado.

Discorreu sobre Cabo Frio estar nessa situação "largada", que foi por irresponsabilidade dos governos anteriores, que impede o avanço na melhoria de infraestrutura. Segundo Janio, se não houvesse as dívidas milionárias deixadas por outros prefeitos, a cidade estaria em melhores condições porque dessa forma Zé investiria nessas melhorias e não pagando as dívidas

O imbróglio do concurso de 2020, ainda não homologado, também não passou batido, sobre o porquê de não ter sido homologado ainda. "O processo está na Câmara, o diálogo existe e não pode ter intransigência".

 

Fonte: Jornal O dia

Renata Cristiane

Jornalista (Facha), Bacharel em História (UVA), especializada em Marketing Político e Eleitoral (ESPM). Colunista e analista política / Vasta experiência e habilidade em todas as editorias, em especial, política.

 

 

Aguarde..