Informação, publicidade e prestação de serviços a comunidade | 22 de Setembro de 2021

Grandes famílias brasileiras

Posse da mãe de Ciro Nogueira, Eliane Nogueira e as relações do presidente Jair Bolsonaro com os filhos, como o senador Flavio Bolsonaro, são peças de um jogo secular no Brasil que parece estar longe de acabar

Por Tribuna em 28/07/2021
Grandes famílias brasileiras

DA REDAÇÃO - Segundo Max Weber, um dos pais da sociologia, patrimonialismo é um conceito que se refere à característica de um Estado sem distinções entre os limites do público e os limites do privado. No governo que se elegeu tendo como uma de suas principais bandeiras “A mamata vai acabar”, era de se supor que essa prática seria erradicada da administração pública federal. No entanto, as tentativas incessantes do presidente da República Jair Bolsonaro (Sem Partido), de se apropriar das instituições do Estado para benefícios privados-familiares, só escancarou como essa chaga é operada no Brasil desde a Colônia.

Primeira suplente do filho no Senado, a mãe de Ciro Nogueira (PP-PI), Eliane Nogueira, tomou posse como senadora na tarde desta quarta-feira (28/7), horas após ele ser nomeado como novo ministro da Casa Civil e embora não seja uma prática ilegal, ela ilustra como as relações de poder ocorrem no país onde privilégios são encarados como direitos e direitos são considerados privilégios. Pelos de cima, é bom frisar.

Além de alçar a própria mãe à condição de senadora, Ciro Nogueira acabou gerando outro movimento que deixou tudo ainda mais entre família. Com sua ida para a Casa Civil, Nogueira deixou a titularidade da CPI da Pandemia para o antigo suplente, o senador Luiz Carlos Heinze (PP-RS) e quem vai agora para a suplência é o senador Flávio Bolsonaro (Patriotas-RJ), que vai para linha de frente da defesa do pai, o presidente da República que nomeou o senador Ciro, que deixou vaga para a mãe Eliane.

A posse da simpática Eliane Nogueira ocorreu no prédio do Senado, em Brasília, e contou com a presença do próprio Ciro; do senador Elmano Férrer (PP-PI), 2º secretário da Mesa Diretora da Casa; e de integrantes da Secretaria-Geral.

Eliane tem 72 anos, é natural de Teresina (PI) e também é filiada ao Progressistas, partido presidido pelo filho. Ela foi eleita na chapa de Ciro ao Senado, pelo Piauí, nas eleições de 2018. A mãe do senador assumiu o mandato antes mesmo de Ciro ser empossado. Embora tenha sido nomeado nesta quarta, a posse do novo ministro da Casa Civil só está prevista para a próxima terça-feira (3/8).  (Com informações do Metrópoles)

Aguarde..