Informação, publicidade e prestação de serviços a comunidade | 30 de Junho de 2022

ELEIÇÃO: Quem receberia o “voto útil: Lula, Bolsonaro, ou um novo nome no cenário eleitoral?

Por Tribuna em 23/05/2022
ELEIÇÃO: Quem receberia o “voto útil: Lula, Bolsonaro, ou um novo nome no cenário eleitoral?

A terceira via não empolgou dirigentes partidários fora da polarização Lula-Bolsonaro e segundo os últimos resultados das pesquisas a polarização entre dois grandes líderes populares, Lula e Jair Bolsonaro, que disputarão a preferência do brasileiro em outubro de 2022. No mesmo tom da campanha presidencial de 2018 Ciro Gomes, terceiro colocado nas pesquisas, iria somar para o lado de Lula para tentar, através do voto útil, definir o jogo ainda no primeiro turno.?

De acordo com a análise momentânea do cientista político e diretor da Quaest Pesquisa, Felipe Nunes, se o eleitorado de Ciro abrir mão da preferência pessoal para depositar um voto estratégico na urna, não será surpresa. Estudioso da “sociologia eleitoral”, Nunes afirma que “o eleitor tende a dar voto estratégico ou voto útil em momentos decisivos.”

Segundo a última pesquisa Genial/Quaest, divulgada em 11 de maio, faltando menos de 5 meses para o primeiro turno da eleição de 2022, Lula tinha 46% das intenções de voto e possibilidade de vencer no primeiro turno. Bolsonaro tem 29% e Ciro, 7%. Quando Ciro desiste da corrida eleitoral, Lula vai a 50% ou 51% das intenções de voto, em dois cenários testados.

Lula com 46% e Bolsonaro 39% num segundo turno 

Se o segundo turno da eleição presidencial fosse hoje, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) teria 46% das intenções de voto, e o presidente Jair Bolsonaro (PL) teria 39%, segundo a pesquisa eleitoral EXAME/IDEIA divulgada nesta quinta-feira, (19/05). A distância entre os dois é de 7 pontos percentuais, a menor em um ano.

Cila Schulman, vice-presidente do instituto de pesquisa IDEIA, avalia que há uma possibilidade da eleição nem ir para o segundo turno, a depender do comportamento dos eleitores de Ciro Gomes. “Com o quadro tão polarizado entre Bolsonaro e Lula, há a possibilidade da eleição acabar no primeiro turno. Para isso, os eleitores de Ciro Gomes seriam pressionados a dar um voto útil ainda no primeiro turno, explica.

 Da Editoria/Núcleo de Conteúdo: TRIBUNA Digital Press/Imagem: Redes Sociais.

Aguarde..