Informação, publicidade e prestação de serviços a comunidade | 07 de Agosto de 2022

Depois do Viagra e das próteses penianas, Forças Armadas ‘apresentam’ o botox em sua lista de compras

Por Tribuna em 14/04/2022
Depois do Viagra e das próteses penianas, Forças Armadas ‘apresentam’ o botox em sua lista de compras

É vexame atrás de vexame, escárnio com o povo dia sim e outro também e o escândalo dos gastos das Forças Armadas não acaba. Depois dos 35 mil comprimidos de Viagra, o Ministério da Defesa vai ter que explicar o empenho de R$ 546 mil para a compra de botox entre os anos de 2018 e 2020. As informações estão no Painel de Compras do governo federal. Não há informação sobre compra em 2021 no painel. Os dados foram reveladas pelo jornalista Guilherme Amado, do Metrópoles.

A toxina botulínica, popularmente conhecida como botox, é famosa por ser usada em procedimentos estéticos, mas também tem outras aplicações. Segundo o Exército, a compra foi destinada para “tratar algumas patologias neurológicas como distonia, doença de parkinson, espasmo miofacial, espasticidade, enxaqueca crônica e neuralgia do trigêmeo, além de queixas odontológicas como distúrbio da articulação temporomandibular”. A Força acrescentou que “não realiza compras desse material para fins estéticos”.

Somente o Hospital das Forças Armadas (HFA) comprou seis frascos em 2018, 15 em 2019, seis em 2020 e, em 2021, estimou que precisaria de 50 frascos da toxina. Isso equivale a cinco mil aplicações, já que há 100 doses em cada frasco.

O Ministério da Defesa não se pronunciou. 

Leia ainda: Bolsonaro tem apoio dos militares por causa das regalias e supersalários que chegam até 260 mil por mês

Bolsonaro não quer Exército nos quartéis

6300 militares da ativa e da reserva em cargos civis no governo

Militares são o maior custo da Previdência

Aguarde..