Informação, publicidade e prestação de serviços a comunidade | 26 de Maio de 2022

Da ruas para os Jogos Olímpicos, skate faz história em Tóquio

Os 6 representantes país andaram na pista de aquecimento da Arena oficial dos Jogos na tarde desta terça-feira

Por Tribuna em 20/07/2021
Da ruas para os Jogos Olímpicos, skate faz história em Tóquio

DA REDAÇÃO - O skate nasceu como estilo de vida, atitude de uma juventude anárquica e nem em sonhos distantes dava para imaginar o que aconteceu na tarde desta terça-feira, 20, em Tóquio (madrugada no Brasil). Como o esporte se agigantou ao longo dos anos, muitos atletas começaram a vislumbrar o sonho outrora impensável e hoje ele é realidade.

Pela primeira vez, os skatistas puderam treinar no Ariake Sports Park Skateboarding, palco oficial da modalidade nos Jogos Olímpicos Tóquio 2020. Mas, por enquanto, apenas na pista de aquecimento. O evento esportivo no Japão traz a tão sonhada estreia do skate.

“Quando eu comecei a andar de skate nunca imaginei que um dia o esporte fosse fazer parte dos Jogos Olímpicos. Quando soube, em 2016, que isso iria acontecer, vi que seria um sonho a ser realizado. Parece que demorou muito para chegar esse dia, foi um processo longo, difícil, com muitas competições para poder viver esse momento único”, disse Leticia Bufoni, quarta colocada no ranking mundial na modalidade street.

Neste primeiro dia de treinos no palco do skate em Tóquio, os seis atletas da seleção brasileira foram para a pista. No street feminino, além de Leticia, o Brasil conta com Pâmela Rosa e Rayssa Leal. No masculino, estão Felipe Gustavo, Giovanni Vianna e Kelvin Hoefler. No total, foram quase 2h de atividades para dar "uma soltada", como definiu Kelvin, e testar as condições climáticas da competição.

“Eu mal cheguei e já quero voltar. Pena que a próxima edição é só em 2024. Tudo está sendo uma grande novidade e estou gostando muito. Os Jogos Olímpicos vão trazer uma visibilidade bem significante para o skate por se tratar de um evento grandioso. E os Jogos ganham uma renovação com um pessoal bem jovem”, afirmou Kelvin Hoefler, também quarto colocado no ranking mundial.

O Brasil terá, ainda, outros seis representantes no skate park: Dora Varella, Isadora Pacheco e Yndiara Asp, no feminino; e Pedro Barros, Pedro Quintas e Luiz Francisco, no masculino.

Em Tóquio, a disputa do skate começa no dia 25 com o street masculino. No dia seguinte, é a vez das mulheres. A competição no park será nos dias 04 de agosto (mulheres) e 05 de agosto (homens).

Neste primeiro dia de treinos no palco do skate em Tóquio, os seis atletas da seleção brasileira foram para a pista. No street feminino, além de Leticia, o Brasil conta com Pâmela Rosa e Rayssa Leal. No masculino, estão Felipe Gustavo, Giovanni Vianna e Kelvin Hoefler. No total, foram quase 2h de atividades para dar "uma soltada", como definiu Kelvin, e testar as condições climáticas da competição.

“Eu mal cheguei e já quero voltar. Pena que a próxima edição é só em 2024. Tudo está sendo uma grande novidade e estou gostando muito. Os Jogos Olímpicos vão trazer uma visibilidade bem significante para o skate por se tratar de um evento grandioso. E os Jogos ganham uma renovação com um pessoal bem jovem”, afirmou Kelvin Hoefler, também quarto colocado no ranking mundial.

O Brasil terá, ainda, outros seis representantes no skate park: Dora Varella, Isadora Pacheco e Yndiara Asp, no feminino; e Pedro Barros, Pedro Quintas e Luiz Francisco, no masculino.

Em Tóquio, a disputa do skate começa no dia 25 com o street masculino. No dia seguinte, é a vez das mulheres. A competição no park será nos dias 04 de agosto (mulheres) e 05 de agosto (homens). (Com COB)

Publicidade
Aguarde..