Informação, publicidade e prestação de serviços a comunidade | 30 de Junho de 2022

CRIME: Morte de jornalistas na Amazônia pode ter sido ordenada por traficante

Por Tribuna em 17/06/2022
CRIME: Morte de jornalistas na Amazônia pode ter sido ordenada por traficante

A Força tarefa que vê atuando na linha de frente para apurar o caso, segundo fonte, adiantou que investigadores da Polícia Federal suspeitam que um traficante de drogas internacional tenha ligação com o desaparecimento do jornalista inglês, Dom Phillips e do indigenista Bruno Pereira.

Para as autoridades, o líder contrabandista chamado Colômbia, de nacionalidade peruana, pode ser o responsável por ordenar a execução das duas vítimas, pois elas denunciavam crimes ocorridos na Amazônia como parte de seus trabalhos. Dom e Bruno foram vistos pela última vez no dia 5 de junho, na região da Terra Indígena do Vale do Javari.

Há poucos dias a polícia prendeu dois suspeitos de participar do desaparecimento. O primeiro deles é Amarildo da Costa de Oliveira, conhecido como Pelado. Ele possui histórico de ameaças a indígenas, além de envolvimento com drogas. Segundo a linha de investigação, Pelado teria sido o executor do crime, ordenado por Colômbia. Ele foi preso no último dia 7, portando uma arma de fogo e uma porção de drogas.

Suspeito está na região há 30 anos

Pelado está entre os homens que foram denunciados por Bruno Pereira. É acusado de mineração, caça e pesca ilegal na Terra Indígena do Vale do Javari. Em depoimento, o suspeito disse que trabalha na pesca há 30 anos e conhecia Bruno apenas de vista, tendo o visto passando de barco no dia do sumiço. Pelado afirma que, naquele dia, não chegou a sair de casa, versão contrariada por testemunhas ouvidas pelos investigadores.

O segundo suspeito preso é irmão de Pelado. Trata-se do pescador Oseney da Costa de Oliveira, também conhecido como Dos Santos. Testemunhas disseram aos policiais federais que, no dia do desaparecimento, os dois irmãos saíram de barco atrás de Bruno e Dom.

Da Editoria/Núcleo de Conteúdo TRIBUNADigital/Pleno News/Imagem:agroemdia

Aguarde..