Informação, publicidade e prestação de serviços a comunidade | 28 de Maio de 2022

Covid-19 ainda impõe desafios

Por Dep. Pedro Augusto em 21/05/2021
Covid-19 ainda impõe desafios

Após tanta dor e sofrimento que a pandemia causou, a imunização contra o novo coronavírus devolveu a esperança de dias melhores. Mas suas  consequências serão sentidas ainda por muito tempo e, principalmente, pelas famílias que choram a perda de seus entes. Além da dor da morte, a luta pela sobrevivência, durante o distanciamento social imposto, agravou a desigualdade social, aumentando ainda mais as aflições do povo brasileiro. É com esse cenário que, após cinco mandatos como deputado estadual no Rio de Janeiro, assumi meu mandato como deputado federal no início deste ano. Há muito a se fazer e debater.

O auxílio emergencial dentro desse contexto foi fundamental na vida de milhões de famílias, que iniciaram um 2021 sem esse benefício. São trabalhadores que perderam seus empregos e ficaram sem renda alguma no período. De acordo com o Ministério da Cidadania, foram mais de 68 milhões de brasileiros  beneficiados, o que equivale a  32,2% da população e cerca de 40% das residências. Esse número aumenta se levar em consideração as pessoas alcançadas direta ou indiretamente: foram quase 119 milhões de cidadãos, ou seja, mais da metade da população brasileira. Graças a esse repasse, muitas famílias tiveram alimentos em suas mesas.

Além do impacto  social, cabe destacar a importância para a economia do país, uma vez que nenhum setor passou incólume pela Covid-19. O governo federal injetou cerca de R$330 bilhões nos estados por meio do pagamento das parcelas e, graças ao consumo dessas famílias, muitos empreendedores conseguiram continuar com seus negócios abertos, manter o emprego de seus funcionários e pagar as contas em dia.

Diante da necessidade de transferir renda para os mais carentes, os gastos do governo federal aumentaram  para reduzir os impactos do novo coronavírus, mas faz-se urgente a discussão de mecanismos para a prorrogação ou criação de algum outro benefício para amparar essa parcela da população.  Paralelo a isso, o país precisa se tornar mais atraente para o investimento privado, aumentando o número de postos de trabalho e reaquecendo a economia.

O ano de 2021 será de trabalho árduo, de enfrentamento da crise sanitária e discussões fundamentais para o desenvolvimento do país, como as reformas tributária e administrativa. Só com muita reflexão, debate  e  responsabilidade poderemos  decidir medidas que tenham impacto positivo no dia a dia dos brasileiros. Unidos, vamos  tirar o país dessa situação.

Deputado Federal Pedro Augusto (PSD/RJ)

Publicidade
Aguarde..