Informação, publicidade e prestação de serviços a comunidade | 04 de Julho de 2022

Coronel Jairo destina mais de R$ 2,9 milhões para fortalecer autonomia universitária da UEZO

Deputado é contra a incorporação à UERJ da primeira universidade pública da zona oeste

Por Tribuna em 18/11/2021
Coronel Jairo destina mais de R$ 2,9 milhões para fortalecer autonomia universitária da UEZO

Em mais uma ação em defesa da autonomia da Fundação Centro Universitário Estadual da Zona Oeste (UEZO), o deputado Coronel Jairo (SDD) apresentou emenda ao orçamento estadual de 2022 para destinação de R$ 2.901.837,00. O objetivo é assegurar investimentos em gestão e Infraestrutura da UEZO.

Coronel Jairo vem trabalhando na Assembleia Legislativa do Rio para que outros deputados votem contra a incorporação da UEZO à Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), cuja proposta foi enviada pelo governo estadual e está em análise na Alerj.

Autor do projeto de lei que resultou na criação da UEZO em 2005, Coronel Jairo destaca a importância de manter a autonomia e em funcionamento na zona oeste as instalações, justamente por ser a região com maior deficiência de equipamentos de educação no estado. 

“A presença da UEZO em Campo Grande é fundamental para reduzir desigualdades. Sempre vou destinar recursos e estou na luta para evitar a incorporação pela UERJ. A população da zona oeste merece e pode ter uma universidade pública com estrutura e qualidade, o governo estadual precisa ter sensibilidade e competência para atender ao clamor do povo e também dos estudantes da própria UEZO”, afirmou o deputado Coronel Jairo, que destinou o valor total em emenda a que tinha direito em benefício da UEZO.

Nesta terça-feira (16/11), foi realizada audiência pública por videoconferência, na Alerj, para debater o projeto de lei 5071/2021, do Poder Executivo. Há emendas, e uma segunda audiência pública ainda terá de ser realizada para tratar a questão. 

A falta de servidores efetivos e de um plano de cargos e salários estão entre os problemas da instituição situada no bairro de Campo Grande, zona oeste do Rio. “Falta competência ao governo. Há recursos oriundos da venda da Cedae e do aumento de receitas de royalties e participações especiais, por exemplo. O Estado poderia ter adquirido uma sede própria para a Uezo e ter feito o plano de cargos e salários. Por melhor que seja o projeto de lei, são 70 deputados com muitas visões diferentes, não será como o idealizado. Quero que a UEZO continue a existir”, disse o deputado Luiz Paulo (Cidadania).

Na audiência pública que foi realizada no mês de setembro, representando o Diretório Central de Estudantes (DCE) da UEZO, Yuri Borges declarou que os alunos são contrários à incorporação. “Podem contar comigo, faço o que estiver ao meu alcance para salvar a UEZO”, concluiu Coronel Jairo.

Deputado Coronel Jairo defende o fortalecimento e autonomia universitária da UEZO 

Aguarde..