Informação, publicidade e prestação de serviços a comunidade | 28 de Maio de 2022

Chefe do sistema de hospitais de Paris questiona se não vacinados devem ter direito ao tratamento gratuito na França

Por Tribuna em 28/01/2022
Chefe do sistema de hospitais de Paris questiona se não vacinados devem ter direito ao tratamento gratuito na França

O chefe do sistema de hospitais AP-HP de Paris, Martin Hirsch, iniciou um debate acirrado ao questionar se as pessoas que se recusam a ser vacinadas contra a COVID-19 devem continuar a ter seu tratamento coberto pelo seguro de saúde público.

Sob o sistema de saúde universal da França, todos os pacientes com COVID-19 que acabam em terapia intensiva têm cobertura total para seu tratamento, que custa cerca de 3.000 euros (US$ 3.340) por dia e normalmente dura de uma semana a 10 dias.

"Quando medicamentos gratuitos e eficientes estão disponíveis, as pessoas deveriam poder renunciar a eles sem consequências... enquanto lutamos para cuidar de outros pacientes?" O chefe do sistema de hospitais AP-HP de Paris, Martin Hirsch, disse à televisão francesa na quarta-feira.

Hirsch disse que levantou a questão porque os custos de saúde estão explodindo e que o comportamento irresponsável de alguns não deve comprometer a disponibilidade do sistema para todos os outros.

Vários profissionais de saúde franceses rejeitaram sua proposta, políticos de extrema-direita pediram a demissão de Hirsch e a prefeita de Paris, Anne Hidalgo - que preside o conselho da AP-HP e que é a candidata socialista nas eleições presidenciais de abril - disse discordar de sua proposta.

Uma hashtag pedindo a demissão de Hirsch estava em alta no Twitter na França.

O ministro da Saúde, Olivier Veran, não comentou a ligação de Hirsch, mas Olga Givernet, legisladora do partido LREM do presidente Emmanuel Macron, disse na BFM TV na quinta-feira que "a questão levantada pela comunidade médica não pode ser ignorada".

 

Publicidade
Aguarde..