Informação, publicidade e prestação de serviços a comunidade | 18 de Maio de 2021

Bernardinho assumirá seleção masculina da França após Olimpíadas

O treinador manterá todos os seus projetos no Brasil, inclusive no Sesc RJ Flamengo, onde comanda a equipe feminina. 

Por Tribuna em 13/04/2021
Bernardinho assumirá seleção masculina da França após Olimpíadas

O técnico Bernardinho assumirá a seleção masculina de vôlei da França após a realização dos Jogos de Tóquio. A informação foi divulgada, nesta segunda-feira (12), pela Federação Francesa da modalidade e confirmada pela assessoria de imprensa do treinador, que manterá todos os seus projetos no Brasil, inclusive no Sesc RJ Flamengo, onde comanda a equipe feminina. 

“Chegamos a um acordo e será, sem dúvida um desafio importante. Espero poder contribuir com minha experiência na seleção masculina da França, mas seguirei a maior parte do tempo no Brasil. A prioridade nunca deixou nem deixará de ser os projetos que já tenho em andamento por aqui, como o Sesc RJ Flamengo e todos os demais parceiros. Acredito que essa experiência possa somar bastante em todas essas frentes, levando tudo a um ambiente global, adquirindo uma experiência internacional que possa incrementar as entregas. O objetivo com a França é 2024 [Jogos Olímpicos], mas em todos os outros projetos a expectativa é que sigam adiante. Sempre me dediquei de coração a todos os trabalhos e seguirei assim, com muita vontade de ampliar esses vínculos no Brasil por muitos outros anos”, declarou Bernardinho. 

Leia também: O dia do golfe: um esporte centenário em crescimento no país

Em partida emocionante, Flamengo supera o Palmeiras e leva Supercopa do Brasil

O treinador assume a França tendo como principal objetivo o ciclo dos Jogos de Paris (2024). Para encarar tal desafio ele conta com grande experiência, tendo disputado seis edições seguidas dos Jogos, conquistando medalhas em todas. Com a seleção brasileira feminina foi Bronze em Atlanta (1996) e Sydney (2000). E com o time masculino foi ouro em Atenas (2004) e Rio de Janeiro (2016) e prata em Pequim (2008) e Londres (2012). 

“Dirigir a França será um desafio muito grande e sou movido a desafios, todos sabem. Ainda tenho muitos anos pela frente fazendo o que mais gosto, que é treinar equipes e desenvolver pessoas. Eventualmente podemos enfrentar o Brasil, estarei ali trabalhando, normalmente, como muitos outros técnicos já fizeram, e em vários esportes, mas seguirei com meu coração verde e amarelo”, concluiu Bernardinho. 

Foto: Marcelo Cortes/Flamengo/Direitos Reservados.

* Com informações da EBC.

Aguarde..