Informação, publicidade e prestação de serviços a comunidade | 30 de Junho de 2022

Banquete de Ana Maria Braga, afronta povo que sofre "A DOR DA FOME"

Por Tribuna em 19/10/2021
Banquete de Ana Maria Braga, afronta povo que sofre

Enquanto o presidente Bolsonaro é visto tomando um simples café, no programa da Ana Maria Braga, temos uma repleta mesa no café da manhã, afrontando o povo que passa pela "Dor da FOME".

"A DOR DA FOME", ocorre no mundo todo, devido os tempos difíceis, em função da pandemia do COVID.

Podemos dizer que neste caso, é "o paradoxo da teoria burguesa da miséria, sem conhecimento prático da fome"

A Globo que passou tempos de guerra com Governador Brizola - homem simples e popular, hoje passa por resistência política ao Presidente Bolsonaro, que preservando as características individuais de  personalidade, ambos se destacam sobre a simplicidade e o populismo.

A triste notícia sobre o povo estar se alimentando de sobra de osso, explorando o terrorismo da "dor da fome", me faz lembrar que outrora o povo comprava suan, para fazer caldo para sopa, usava em prato com mandioca ou outras receitas como solução aos tempos difíceis, que não é se se espantar, pois, os supermercados já estão vendendo pescoço e pé de frango com alternativa de alimentação.

Esperamos das oligarquias de comunicação, notícias sérias, como por exemplo: Divulgar sobre o desenvolvimento econômico, quer seja do segmento em alta do agronegócio, quer seja, dos segmentos em queda da indústria naval, ou de petróleo e gás, ou dos setores produtivos industriais, automobilístico, ferroviário e grandes investimentos de infra estrutura de obras.

A democracia permite a escolha popular, e não dá para os meios de comunicação produzirem uma polarização eleitoral, sem considerarem outros candidatos ou as terceiras vias, quer seja, com o lendário Ciro Gomes - PDT, algum nome escolhido nas prévias do PSDB (Dória, Eduardo Leite, Arthur Virgílio), ou outra liderança que venha surgir.

O que a sociedade quer, é uma comunicação que produza jornalismo de qualidade e  imparcial, sem apelar para terrorismo descabido ou fatos sensacionalistas que impressione a sociedade.

O povo já usa insígnias pejorativas (lixo, bosta, etc). Fica a dica, ainda é tempo de mudar!

Matéria: Fernando Annibolete
Imagem: capa do jornal O Extra (parte), Rede Social (parte) e foto do autor.

*Este texto é de total responsabilidade de seus idealizadores. 

Aguarde..