Informação, publicidade e prestação de serviços a comunidade | 07 de Agosto de 2022

ABORTO: Ao responder pergunta da juíza, a menina declarou que não desejava ter a criança

Por Tribuna em 25/06/2022
ABORTO: Ao responder pergunta da juíza, a menina declarou que não desejava ter a criança

Seguindo a posição do presidente Jair Bolsonaro (PL), na sexta-feira (24/6) o senador Flávio Bolsonaro (Patriota-RJ) usou as redes sociais para criticar o aborto. A polemica envolve o caso de uma menina de 11 anos que foi vítima de estupro e recorreu à Justiça para interromper a gravidez.

No Brasil, o aborto é legal quando a gravidez é decorrente de um estupro. Não sendo que a legislação brasileira não estabelece um prazo gestacional. Para o senador, “nada justifica o assassinato de uma vida inocente, indefesa!” Além disso, em uma foto do pai com uma criança no colo, ele ainda abriu o espaço para que seus seguidores também pudessem criticar o aborto.

E disparou: “Se você defende a vida e é contra o aborto, deixe aqui seu comentário”, escreveu.

Decisão de juíza causou indignação

O caso acabou gerando revolta nas redes sociais da juíza Joana Ribeiro Zimmer, que  negou o direito do aborto legal a uma menina de 11 anos, vítima de estupro. Em áudio divulgado, a magistrada pergunta à criança se ela poderia levar a gravidez por mais tempo, para garantir a saúde do bebê. Ao ser questionada pela juíza, a criança respondeu que não desejava continuar a gravidez.

 A magistrada insistiu, ainda, sobre o fato de o pai do bebê - o estuprador - concordar com uma possível entrega para a adoção. Ela também indaga se a menina havia escolhido o nome para o filho. Na quarta-feira (22/6), a vítima finalmente conseguiu interromper a gestação, após o Ministério Público Federal (MPF) interceder diante da repercussão da história.

Da Editoria/em.com/Imagem: BBC News

Aguarde..